Carpe Diem

Carpe diem quam minimum credula postero (colha o dia, confia o mínimo no amanhã)


Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi

Não pergunte, saber é proibido, o fim que os deuses

finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios

darão a mim ou a você, Leuconoe, com os adivinhos da Babilônia temptaris numeros. ut melius, quidquid erit, pati.

não brinque. É melhor apenas lidar com o que cruza o seu caminho

seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam,

Se muitos invernos Jupiter te dará ou se este é o último,

quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare

que agora bate nas rochas da praia com as ondas do mar


Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi

Tirreno: seja sábio, beba seu vinho e para o curto prazo

spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida

reescale suas esperanças. Mesmo enquanto falamos, o tempo ciúmento

aetas: carpe diem quam minimum credula postero.


está fugindo de nós. Colha o dia, confia o mínimo no amanhã.

Muito utiliza desta frase como uma expresão de agradecimento, de amor, ou seja, de ficar perdendo tempo com coisa que não serve para nada.

Desejo a todos um excelente final de semana e "Carpem Diem" viva a vida a cada instante e seja feliz sempre!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A lenda dos Dez Pergaminhos

Parábola Hindu – Os Cegos e o Elefante

O prego e o Martelo