Três Macacos Explicam Cultura Organizacional

Pessoal já faz um tempo em que li esta matéria, e achei muito interessante para compartilhar com vocês, retrata muito bem a aula passada do professor Paulo Barreto... 

Três macacos explicam cultura organizacional

Um suposto experimento realizado sobre comportamento animal ilustra perfeitamente os desafios que enfrentamos com mudanças culturais nas organizações.

Numa jaula, foram colocados três macacos. Acima do terceiro macaco havia um cacho de bananas. Toda vez que este terceiro macaco pegava uma banana os demais recebiam um forte e incômodo jato de água.

Após esta situação se repetir por mais de uma dúzia de vezes, os macacos que recebiam os jatos começaram a atacar o terceiro macaco toda vez que ele tentava alcançar mais uma banana. Logo, estes animais desenvolveram o que Ivan Pavlov chamou de resposta condicionada. Os macacos um e dois condicionaram a punição “jato de água” com recompensa “bananas” do terceiro macaco.

Os cientistas então trocaram o terceiro macaco por um novo macaco e, tão logo este novo macaco ameaçava alcançar o cacho de bananas, era imediatamente atacado pelos macacos um e dois (mesmo sem a utilização do “jato de água” como punição). Após algumas novas tentativas o terceiro e novo macaco desistiu das bananas.

Em seguida, o macaco um foi também trocado por um novo macaco e os comportamentos permaneceram. 

E por fim, houve a troca do macaco dois por um novo macaco. E, mesmo sem terem experimentado o mecanismo instalado de recompensa/punição criado no primeiro trio de macacos, todos os novos macacos adotaram a conduta instalada.

Note que, para os macacos, não havia uma clara explicação, era simplesmente como as coisas aconteciam: pegar a banana resultava em briga entre eles. E isso é exatamente o que ocorre nas organizações. Os comportamentos instalados refletem o conjunto de “regras conhecidas” e de “regras ocultas”, resultando assim na cultura organizacional.

Fica a lição de que é preciso conhecer a cultura organizacional, observar comportamentos e regras para planejarmos ações. Trabalhar nos comportamentos é mais recomendável, pois é a parte mais visível e tangível da cultura.




Aproveitando conheço outra historinha que vale apena compartilhar.

Qual a origem daqueles três macacos que um não vê, o outro não escuta e o terceiro não fala?


Os macaquinhos, conhecidos como 'Três Macacos Sábios', ilustram a porta do Estábulo Sagrado, um templo do século 17 localizado na cidade de Nikko, no Japão. Sua origem é baseada em um trocadilho japonês. Seus nomes são 'mizaru' (o que cobre os olhos), 'kikazaru' (o que tapa os ouvidos) e 'iwazaru' (o que tampa a boca), que na língua é traduzido como 'não ouça o mal', 'não fale o mal' e 'não veja o mal'. A palavra 'saru', em japonês, significa 'macaco' e tem o mesmo som da terminação verbal 'zaru'.
O folclore japonês diz que a imagem dos macacos foi trazida por um monge budista chinês, no século 8. Apesar disso, não há comprovação dessa suposição.
Fonte: Ricardo Mário Gonçalves, professor de História Oriental da USP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parábola Hindu – Os Cegos e o Elefante

O Caderno - Letra da Música do Padre Fábio de Melo

O prego e o Martelo