Planejamento, Liderança e Organização.

Olá

Hoje vou comentar sobre a Copa do Mundo no Brasil, do vexame da Seleção Brasileira e do impacto da falta de planejamento estratégico para atingir os objetivos.





Sabemos que um planejamento adequado tratá bons resultados para a empresa e consequentemente, para os nossos clientes, quando o assuntos é seleção Brasileira, os clientes somos nós.

Para todo e qualquer projeto a ser desenvolvido,  curto, médio e a longo prazo, seja na vida profissional ou pessoal, é de extrema importância ter um bom planejamento, para que o projeto tenha o menor desvio possível e que, dessa forma, possam ser avaliadas todas as possibilidades de sucesso ou fracasso do mesmo e com essa avaliação, mudar a rota caso aja um tsunami ou apagão.

No jogo desta terça-feira os alemães deram uma aula de planejamento estratégico, foco e determinação, com apenas trinta minutos já estava ganhando de 5 X 0 do Brasil e dentro do nosso domínio. O resultado desta partida ficou estampado nas redes sociais, em todos os jornais, mídias e noticiários pelo mundo.

Uma derrota, por pior que seja, vem com novas lições. São nas adversidades que vamos crescer, mas para isto precisamos mudar. Estamos sujeitos a passarmos por muitas adversidades neste mundo, porém, não podemos desanimar e desistir.

Segundo Rubens Costa "São nas adversidades que os vencedores se diferenciam, ainda que tenha caído uma vez, permanecem com a cabeça erguida".

Abraham Lincoln aponta um aspecto importe sobre caráter e poder "Quase todos homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por a prova o caráter de homem, dê-lhe poder".

Diante destes fatos, podemos tirar uma grande lição com os alemães, investimento pesado na educação, na saúde, na infraestrutura, nas bases dos times de futebol, fornecer intercâmbio com outros países, exportar e importar também novos talentos.

Criar um modelo esportivo novo para formar novos atletas de ponta, isto só vai acontecer com mudanças na educação e no esporte, incluindo um psicólogo esportivo,  um preparador físico e médicos de primeira linha. Olhar para as futuras gerações.

Precisamos urgentemente fazer um benchmarking dos modelos de sucesso que podem ser importados para o nosso futebol, sem perder a nossa alegria de jogar.

Além disso, temos a falta de atualização dos técnicos brasileiros em termos técnicos e táticos. Muitos profissionais estão desatualizados, veja o caso do nosso técnico da Seleção Brasileira, arrogante, vive de histórico do passado, não se atualizou e nem fez a lição de casa que é simples, precisamos de uma reformulação deste modelo de futebol.

Felipão é preciso ter humildade e aprender com os erros.

O jogo desta terça-feira no Mineirão pode trazer muitas lições e aprendizados para os brasileiros, hoje temos uma grande deficiência para revelar grandes jogadores, apesar da facilidade histórica de criar talentos para o mundo.

A não percepção do planejamento como item básico para a obtenção de resultados satisfatórios, acelerá resultados indesejados tanto para o Brasil quanto para a sociedade.

Agora todos nos estamos ainda perguntando o que aconteceu com estes jogadores todos famosos e com a sua carreira consolidada, como educador e palestrante, cheguei algumas conclusões:



1ª Pressão por parte de todos para ganhar o Hexacampeonato, colocando a obrigação nas mãos dos meninos para ganhar o título no Brasil e afastar de vez o fantasma de 50, criou um sentimento de responsabilidade e angústia. O Sonho do hexacampeonato se transformou em uma goleada histórica, a tensão ficou evidente nesta partida. Sabemos que a ansiedade é contagiosa.
Excesso de pressão e ausência de liderança, tudo isto contribui para este vexame nacional, internacional e mundial.  

São nestes momentos que precisamos manter a calma, aonde entra o preparo, o planejamento e a liderança. O ritmo das transformações atuais é tão intenso, que não queremos ficar para trás, tornando-nos obsoletos. Contudo faltou liderança e planejamento para a nossa seleção.
Agitado e tenso? Encontre a calma.

2ª Fator falta de liderança. Dentro e fora de campo a seleção brasileira não teve um líder.  Os líderes estavam chorando em momento de tensão. A responsabilidade deste garotos eram enorme diante a nação brasileira. Nesse sentido, surge o papel do líder que deve contribuir de maneira relevante para o aumento da motivação e da produtividade de toda a equipe com quem trabalha.

Mas um bom líder precisa ter mais do que atributos técnicos, ele precisa também do que denominamos competência emocional e social. Afinal, ele lida todo o tempo com pessoas e, consequentemente, com relações, sentimentos e emoções.

Pela própria natureza da sua função, o indivíduo, no exercício da liderança, tem que enfrentar situações de tensão e, frequentemente, uma forte carga de estresse. Na maioria das vezes, um erro técnico é compreendido, mas não se tem essa mesma conivência com o desequilíbrio emocional porque a imagem que se constrói é a daquele momento em que o líder não soube gerenciar adequadamente a sua emoção ao contexto e às condições da equipe.

Assim, para entender um pouco o papel do líder, é preciso, antes de mais nada, acabar com o mito do profissional perfeito. Cada vez mais, as organizações têm percebido que os líderes precisam de uma formação muito mais integral e complexa, que vai além das suas competências técnicas, emocionais e comportamentais.

Não se ganha jogo sem preparação, treinamento e muito suor. A comissão técnica, dirigentes e jogadores pecaram com vários erros. A maior derrota, vergonha e humilhação da história da seleção brasileira é fruto de deste vários erros.

Sem falar do amadorismo da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), a falta de liderança, organização e planejamento e o descaso com o povo Brasileiro. O trabalho é de logo prazo, feito inclusive nas categorias de base.

O nível técnico e tático é ridículo. O calendário nacional é ridículo e para uma rede de televisão. Precisamos de mudança, o calendário precisa mudar e o futebol precisa evoluir. O planejamento e organização começa nas categorias de base. Os talentos não surgem apenas por geração espontânea e sorte. Falta organização, planejamento e profissionalismo.

O Brasil precisa urgente de uma reestruturação em todos os setores. Precisamos urgente de um estrategista por trás do trabalho.

Quando as tempestade da vida se abatem sobre você, lembra-se deste dia, aprenda com os erros, planeje e tenha sempre um plano "B" e busque alçar-se a esses princípios: Planejamento, Liderança e Organização.

Espero que você faça bom proveito e consiga praticar esses princípios citados acima no seu dia a dia.

"Se você inspira os outros a sonhar mais, aprender mais, fazer mais e se tornar melhor, você é um líder" John Quincy Adams

Pense Nisso!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Parábola Hindu – Os Cegos e o Elefante

O prego e o Martelo

A lenda dos Dez Pergaminhos