Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

A palavra em questão é comprometimento

Carlos Marcelo Sant`Anna de Souza
rh.com.br
Janeiro de 2006
A palavra em questão é comprometimento

Com o que ou com quem estamos realmente comprometidos? Antes de continuar a ler esse texto, solicito que cada um reflita e busque responder a pergunta acima. Tentar responder pode ser fácil, pode ser difícil, pode ser complexo ou pode fazer com que não queira mais ler mais o texto. Independente disso, o importante é você saber com o que ou com quem está comprometido realmente.
Meu questionamento se faz pelo fato de perceber que cada vez mais há um distanciamento entre as pessoas. Existe uma dificuldade crescente em encontrar pessoas comprometidas com algo ou alguma coisa voltada para o comum. Já ouvi algumas respostas que me fizeram pensar mais ainda sobre essa falta de comprometimento. Algumas opiniões que ouvi direcionavam como um dos motivadores poderia ser a educação escolar, que na sua grande maioria ainda desenvolve o aprendizado solitário e avalia trabalhos e desempenho de forma indiv…

A hora de buscar novas oportunidades

Imagem
Você recebeu uma nova proposta de trabalho. E agora, o que fazer? Será que chegou a hora de mudar de emprego? Para Rodolfo de Oliveria Estece, consultor da BRM Associados, Divisão de Recrutamento e Seleção, a primeira coisa a ser avaliada diz respeito às perpectivas futuras. "Deve ser levada em consideração a ascensão profissional. Se a empresa atual lhe oferecer isto e você tem menos de cinco anos de casa, ainda não está na hora de mudar." Hoje em dia, profissionais que ocupam cargos de chefia permanecem em média cinco anos no mesmo cargo. Além disso, saltar de emprego em emprego pode fazer um estrago no currículo, além de contribuir para diminuir o poder de negociação salarial no futuro. "Você acaba perdendo a credibilidade. Demonstra que qualquer proposta irá fazê-lo desistir do projeto atual", explica Rodolfo. Outro fator que deve ser avaliado são as condições apresentadas pela nova empregadora, pois nem sempre aumento salarial significa oportunidades de cresc…

4 tipos de funcionários que intoxicam o ambiente de trabalho sem que ninguém perceba

Imagem
Funcionários que costumam fazer confusões, pendem para o lado dramático das coisas ou dificilmente se conformam, muitas vezes precisam apenas de um pouco de atenção e gestão para atingir seus potenciais. É isso que pensa Geoffrey James, contribuidor do site Inc. Em um artigo publicado no site, James afirma que existem, porém, outros tipos de funcionários, que normalmente não são pensados como "difíceis" e que são prejudiciais à produtividade e harmonia do ambiente de trabalho. Conheça os tipos e saiba por que talvez seja melhor repensar o fato de tê-los por perto: 1. Camaleão O camaleão se disfarça e se camufla em qualquer ambiente, para escapar de ameaças. No mundo dos negócios isso significa alguém que se propõe a fazer várias coisas, para na verdade evitar trabalho real. Assim, o camaleão se junta a diferentes equipes, para realizar atividades diversas, e usa isso como uma arma para justificar seu estresse e impossibilidade de assumir responsabilidades maiores. Como? Ele…