Vida de Gado



Olá, bom dia! Boa tarde! Boa Noite!!

Mais um semestre e terminando a minha jornada acadêmica, nas minhas aulas e palestras, sempre procuro passar esta música "Vida de Gado" do Zé Ramalho para reflexão.

Hoje quero falar das escolhas e renúncias, ta cada vez mais difícil fazer escolhas neste mercado global.
Tem uma história que também gosto muito de um aprendiz que se aproximou do seu mestre e perguntou-lhe:

- "Mestre, gostaria de ser um grande lutador de karatê mas penso que também devia me dedicar ao judô de modo a conhecer muitos estilos de luta. Só assim poderia ser o melhor de todos."

E o mestre respondeu:

- "Gafanhoto! Se um homem vai para o campo e começa a correr atrás de duas raposas ao mesmo tempo, vai chegar um momento em que cada uma correrá para um lado. Ele ficará indeciso sobre qual continuará perseguindo. Enquanto decide, ambas fugirão...

Quem deseja ser um mestre tem de escolher apenas uma opção. E se dedicar, e fazer o melhor possível exatamente nessa que optou."

Pense Nisso...
E então você escolhe "ficar na sua", seguir o rebanho e não inventar moda.
Henry kissinger

A liberdade de escolher dá medo... por isso precisamos de pessoas que orientem nossas escolhas.
Ser professor universitário e palestrante é uma imensa responsabilidade. É também uma notável dádiva de Deus e doação, pois recebemos o dom de usar a palavra, o olhar, as expressões para ajudar as pessoas.
Não seja como gado...
Não seja uma Alice no Pais das Maravilhas... "Se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”



Admirável Gado Novo


Vocês que fazem parte dessa massa
Que passa nos projetos do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais do que receber
E ter que demonstrar sua coragem
À margem do que possa parecer
E ver que toda essa engrenagem
Já sente a ferrugem lhe comer

Ê, ô, ô, vida de gado
Povo marcado, ê, povo feliz

Ê, ô, ô, vida de gado
Povo marcado, ê, povo feliz

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal
E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou

Ê, ô, ô, vida de gado
Povo marcado, ê, povo feliz

Ê, ô, ô, vida de gado
Povo marcado, ê, povo feliz

O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam essa vida numa cela
Esperam nova possibilidade
De ver esse mundo se acabar
A arca de Noé, o dirigível

Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar

Ê, ô, ô, vida de gado
Povo marcado, ê, povo feliz

Ê, ô, ô, vida de gado
Povo marcado, ê, povo feliz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A lenda dos Dez Pergaminhos

Parábola Hindu – Os Cegos e o Elefante

O prego e o Martelo