Conhece o ditado: "Cuando el hambre entra por la puerta, el amor sale por la ventana"


Fonte da Imagem Google Imagem

“Quando a fome entra pela porta, o amor sai pela janela”

Um colega de trabalho, vulgo Gervásio sempre menciona “imbecil quem diz que não se arrepende de nada do que fez”, apesar de um pouco radical, tendo a concordar. Sou casado pela 2º vez e algo que me arrependo são dos erros cometidos, lógico que o meu 1º casamento nasceu morto no ninho devido a tantas diferenças (familiar, religiosas, ideológicas) e em especial quanto a finanças.

Erros são raras oportunidades que a vida oferece como forma de aprendizagem, por isso o 2º casamento é altamente produtivo, com méritos sensíveis em finanças, claro que o amor não tem nada a ver com questões matemáticas, mas no dia a dia, as contas são cruéis. O consultor financeiro Mauro Calil recomenda que no relacionamento é ideal começar em um padrão de vida mais baixo, talvez esse seja um dos pontos positivos do meu atual casamento, também foi fácil, pois quem já separou sabe que não existe patamar mais baixo para recomeçar. A Ka é uma santa, casou com um cara duraço, com muitas dividas, logo nossas finanças não tinham mistério: trabalhar, trabalhar e trabalhar para pagar dividas...rs.

Mas observo vários colegas iniciando um casamento, no qual as finanças em algum momento será o ponto chave para engordar as estatísticas do IBGE, em 2012 foi concedida 341,6 mil divórcios. Uma pesquisa¹ feita em 2013 pela Universidade de Kansas, nos Estados Unidos, com 4,5 mil casais, aponta que desavença ocasionada pelas finanças é a principal causa do divórcio. Com base em consultoria de especialistas financeiros e psicólogos, seguem os pecados financeiros cometidos pelos casais:
  1. Pressão dos modelos familiares: o padrão financeiro em que vivemos quando solteiros no casamento irão mudar. Quando solteiros existe a mágica de ligar/desligar a luz e a conta manter-se em dia, quando casado, a conta aparece e deverá quitar (quando solteiros papai e mamãe pagam as contas);
  2. Falta de comunicação: já leram Romeu e Julieta? Lembra-se de alguma fala sobre dinheiro? Falar de dinheiro não é romântico. Porém é necessário tal conversa, discutir sobre um plano em comum sobre dinheiro é essencial para o casal.
  3. Traição financeira: esconder do parceiro o quanto gastou em sua última ida ao shopping é um “pecado”, bem como, esconder os seus rendimentos.
  4. Comodismo: óbvio que desconfiança não combina com casamento, porém, deixar todas as finanças nas mãos do outro em nome da confiança, chama-se comodismo, daí ocorrer a traição financeira é um pulo.
  5. Consumo excessivo: o diálogo é a solução para mitigar o consumo excessivo, no entanto, deverá atentar-se para o “oniomania” doença² de consumo compulsivo, o qual possui grupo de atendimento no Hospital das Clinicas; e
  6. Jogo de poder: casais que possuem diferenças financeiras, utilizando-se do poder do dinheiro para manipular, reforçando o ar de superioridade em relação ao companheiro.
O casamento envolve vários temas que diariamente serão colocados a prova, respeito, religião, crenças, orgulho, humildade e Finanças é apenas mais um desses temas, no entanto, não somos ingênuos em ignorar que a sociedade atual empurram valores ligados ao “ter” que nos faz parecer estar na idade da pedra caso não adequamos a esse estilo e novamente o velho ditado parece atual “Quando a fome entra pela porta, o amor sai pela janela”.

Grande abraço!

Fontes:
Imagem: Disponível no Google Imagens em 03/05/2014, original em recemcasada.com.br
Texto:
¹ Pesquisa divulgada no jornal Valor Econômico de 29/04/2014.

² Os doentes compram roupas repetidas ou que não usarão e mantém as aquisições em segredo.

Texto do Professor Alex Sandro.
Professor Universitário, com formação em administração de empresas - com. exterior e pós graduado em finanças empresariais e docência do ensino superior.
Blog: www.profalexsilva.blog.terra.com.br

Comentários do Professor e Palestrante Paulo Barreto


Não é fácil ter uma relação saudável quando se une amor e dinheiro em um mesmo patamar. Muitos casais sentem dificuldades em se relacionar quando o assunto dinheiro entra em pauta.
Como diz o ditado " Cuando el hambre entra por la puerta, el amor sale por la ventana"
são vários os fatores que podem levar ao desgaste do casamento, como citado pelo professor Alex, mas uma boa parte dos problemas a dois está associada por falta de comunicação e planejamento financeiro. Discutir amor e dinheiro ainda é um tabu no Brasil.
Lembrando que para ser feliz no casamento e nas finanças, a confiança deva ser colocada em primeiro plano.

É preciso ter em mente Alex que o outro(a) não é para sempre. 

Você gostou deste Blog? 
Clique no +1 compartilhe as Frases com seus amigos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A lenda dos Dez Pergaminhos

Parábola Hindu – Os Cegos e o Elefante

O prego e o Martelo